A maratona sem você …

Foi difícil. Não vou negar. No começo, o acordar foi tenso moreno. Era um pouco contraditório sabe, o que eu mais queria era dormir, a minha vontade era de ficar na cama de pijama o dia todo. Mas não conseguia, fechava os olhos e tudo que me vinha a cabeça eram os nossos momentos felizes juntos e a sensação de amor no gosto de minha boca, só conseguia pensar que nada daquilo mais ia voltar, a dor me tomava por completo e começava a chorar. Depois de longas horas tentando, até conseguia dormir um pouco, mas quando acordava, era como se uma facada viesse em meu peito. Toda dor me tomava como uma onda forte e me sufocava em desespero da tua ida. Ficava ali, um meia hora deitada, com o sorriso cabisbaixo e o olhar entristecido. As vezes até surgia alguém e dizia … – Não cansa de dormir tanto menina? Eu dava um sorriso e desviava o assunto. Mas no fundo eu sabia, que era para me esconder de minha própria dor. O que não dava muito certo, porque a noite quase sempre sonhava com você. Até meus sonhos você estava lá me lembrando. Tudo me lembrava você, o toque do celular, a foto de papel de parede, a  xícara de casal e aquele jogo de vídeo game que você gostava. Aquela flor ali no vaso, que eu até despedacei, arranquei com tudo e botei fora. Mas tirar a rosa dali era mais fácil que te tirar de dentro do coração … E eu fiquei, tendo que aprender a lidar com tua partida e a sufocar tudo isso dentro de mim e colocar um sorriso no rosto. Afinal ninguém podia saber que ainda não tinha superado. Ninguém me deixava chorar por você. Eu ainda não sabia lidar com tudo isso, então comecei a ficar com raiva, raiva do sentimento, raiva de você. Era um jeito de me proteger, a minha armadura para tanta dor. Não queria te olhar, chegar perto ou falar contigo. E assim foi por um tempo. Com o passar do meses até que fui me acostumando a ficar sem você. Não que não doesse, sempre doeu. Mas eu aprendi a viver com um canto do coração latejando. E esse tempo foi o melhor remédio, aos poucos fui correndo atrás de algumas coisas que tinha deixado de lado, retomando antigos gostos, e descobrindo muita coisa, e muita música nova também. Fui descobrindo paixões que nem eu sabia que tinha. Fui descobrindo um sorriso dentro de mim moreno, que era tão gostoso, que eu fiquei apaixonada … Um desses dias eu encontrei folhando o álbum de família, uma foto de nós dois juntos no natal de alguns anos atrás. Dei um sorriso. Dessa vez não de apaixonada. Mas sim de uma história boa que lembrei. Que foi sim encantadora e maravilhosa. Mas que já ficou para trás …

Desktop

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s