Quando te vi com ela …

É como se visse a dor, rindo a minha cara. Ali, brincando com as lágrimas … O vento levou … Demorei tanto, tanto para conseguir construir a minha armadura. Tijolo a tijolo, eu construi, eu sorri … E de repente, o vento levou, tudo, tudo, de novo, ele levou tudo. E eu fiquei ali, encolhida … tremendo, sem saber o que fazer … Estava ali parada, chocada, agoniada. Ali, doendo a mesma dor, desesperando o mesmo desespero. Como pode doer tanto? Era só o que conseguia pensar …Tinha raiva, medo, dor, amor e repulsa por ainda sentir esse mesmo amor. Por ele estar ali onde não deveria haver nada … Vontade de arrancar. Despedaçar, despetalar, deixar em pedaços, para aprender a não despedaçar mais assim sozinho …   Mas quem disse que o coração ouve? Ele parece que gosta de sofrer… Ele é frágil. Coitado, bate um vento, e lá vão as feridas se abrir novamente. E aí, ele já não tem mais forças, para levantar… Te ver com ela. Te ver com outro amor. O mundo desabou, a tempestade chegou e levou tudo, estraçalhou tudo que via pela frente dentro de mim. E eu tinha que sorrir, fingir que estava tudo bem e que eu não queria voar no pescoço dela toda vez que os via juntos … Te imaginar apaixonado por ela. Dando o mesmo carinho para ela que deu para mim um dia. O mesmo abraço, o mesmo olho brilhando que eu tanto amei era para ela que você tinha. Despedaçava, meu coração quebrou em mil e um pedaços todos os dias. E eu tinha que tentar juntar sem ninguém perceber. Ninguém podia saber que ainda sentia. Ninguém podia saber que ainda te queria mais do que nunca. Era desejo proibido. Era impossível. Eu não podia te querer. Eu ficava ali. De alguma maneira eu sabia que iria me machucar, mas eu olhava para ver se assim eu me conscientizava de que não era mais meu. Mas o coração nunca entendeu, nem que eu esfregasse na cara dele. Ele não queria acreditar e ponto. Eu ficava ali, olhando você passar. O jeito com que você mexe no cabelo. Que eu achava tão lindo. Olhando e chorando, porque não era mais meu. Me sentia culpada. Algumas vezes cheguei até a me sentir inferior. Era a única boba apaixonada, que ainda queria e desejava o teu amor. Eu fiz muito por impulso. Sabe aquela hora que nada mais importa, que você não pensa em mais nada e faz? E quando a fixa caía, não tinha mais quem a levantasse. Batia, quebrava tudo que via pela frente e me perguntava o porque de ainda estar ali. O quando que ouvi moreno, o tanto que ouvi que não valia mais a pena. Que você estava em outra e eu tinha que te esquecer. Eu também queria te esquecer. Se pudesse escolher teria lhe arrancado do coração ali naquela mesma hora. Mas infelizmente não tenho esse poder. Sorry, não tenho um botão de ligar e desligar sentimentos. Foi difícil moreno, aceitar que você e o meu sonho de você tinham ido embora, com os fortes ventos que chegaram …

1

Anúncios

6 comentários sobre “Quando te vi com ela …

  1. dialogandossite disse:

    É, realmente ao vermos o espaço que acreditamos ser nosso, ocupado por outra pessoa, suscita em nós um sentimento muitas vezes de falha, mas não devemos esquecer que um relacionamento não depende apenas de um e sim de ambos.

    Belo texto, parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s