Não sei como agir nesse tal de amor …

Sabe, desse tal de amor não entendo é nada. Já me farpei algumas vezes. E olha que tenho história para contar Ah, o meu primeiro amor …tão doce. Acreditava em conto de fada e sapatinho de cristal. Achava que tinha encontrado meu príncipe encantado. E de fato ele foi Até que eu me apaixonei por ele. Sabe aquela história de que quando se beija o sapo ele vira um príncipe? Pois é, comigo foi ao contrário. A mais ou menos uns três beijos depois, o príncipe que acabou virando sapo. Desde aí nada mais foi como antes. Eu nunca contei. Mas ele sabia de meu sentimento por ele. Usava, abusava, para conseguir o que queria e a hora que bem entendesse. E eu me culpava por deixar meu coração falar mais alto e ceder todas as vezes que ele me pedia esquecendo toda dor que já tinha me causado Desde então. Nunca consegui acreditar e me entregar completamente a um novo amor, sem que o medo me pegasse. E de fato, só quebrei a cara. Em uma susseciva lista de sapos, cada um me machucava mais do que o outro… É que cansa sabe? Viver achando que na próxima vai dar certo, e nunca dar. Viver criando exxpectativas e sonhos que nunca se concretizam. Entregar meu mundo nas mãos de alguém que destrói ele toda vez que resolve partir. É uma estante, com algumas pastas catalogadas de cada dor que carrego no peito. É tão difícil sabe?andar com tantas memórias entranhadas aqui dentro Por isso que com tempo, acabei criando meio que uma armadura. Pode não ter sido o mais certo a fazer. Mas acabei criando sem nem perceber, foi o único jeito que encontrei de me proteger de tanta dor. E acontece que eu não consigo. Abrir a armadura é deixar o coração vulnerável a dor novamente. Não consigo mais abri – la. A fechadura travou E das vezes que tentei. Me entreguei de verdade. Da primeira vez que depois de muito lutar contra ela, eu realmente, depois de anos me senti a vontade e me joguei de cara, caí de cara no chão. Me joguei, e me perdi no meio de tanto sentimento. Acabei ficando ali, sem saber o que fazer. Ele tinha ido embora, e eu com os cacos que haviam restado de mim … É por isso que a cada perda. A cada vez que ele se vai. Eu choro como se fosse o infinito.  A dor de uma vida inteira. E de fato, é. Minha dor não é só por ele. E por nunca ter dado certo. É por tantas outras dores. Essa vem apenas somando. Mais uma dor para a coleção …

Desktop

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s